Anne-Marie Chartier

Especialista em hist√≥ria do ensino da leitura, Anne-Marie Chartier investiga a evolu√ß√£o das pr√°ticas e dos materiais did√°ticos empregados no ensino da leitura e da escrita. Os resultados de seus estudos como pesquisadora do Servi√ßo de Hist√≥ria da Educa√ß√£o do ¬†Institut National de Recherche P√©dagogique, em Paris, lhe permitem afirmar, por exemplo, que as anota√ß√Ķes feitas por um docente durante o trabalho, quando analisadas sistematicamente, s√£o fundamentais para o replanejamento constante das aulas.¬†Anne-Marie defende que o educador precisa saber relacionar a base te√≥rica ao seu dia a dia para ensinar bem e alcan√ßar bons resultados escolares.

 

Chico Marinho

Possui gradua√ß√£o em Engenharia Mec√Ęnica pela Universidade Federal de Minas Gerais (1983), mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal de Minas Gerais (1997) e doutorado em Ci√™ncias da Comunica√ß√£o pela Universidade de S√£o Paulo (2004). Atualmente √© professor adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais. Pesquisa arte e tecnologia nas seguintes √°reas: jogos digitais, cinema de anima√ß√£o, arte computacional, instala√ß√Ķes interativas imersivas, multim√≠dia, interfaces homem m√°quina, aplicativos art√≠sticos e educacionais para dispositivos m√≥veis. √Č l√≠der do grupo de pesquisa Imagin√°rio: po√©ticas computacionais.

 

 

 

Edvaldo Souza Couto

Possui gradua√ß√£o em Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade Estadual de Santa Cruz (1985), mestrado em Filosofia pela Pontif√≠cia Universidade Cat√≥lica de S√£o Paulo (1990) doutorado em Educa√ß√£o pela Universidade Estadual de Campinas (1998) e est√°gio de p√≥s-doutoramento em Educa√ß√£o pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2011). Atualmente √© professor Associado na Universidade Federal da Bahia, no Departamento de Educa√ß√£o II. √Č um dos coordenadores do GEC: Grupo de pesquisa Educa√ß√£o, Comunica√ß√£o e Tecnologias. Dentre outros, publicou os seguintes livros: "Transexualidade. O corpo em muta√ß√£o" (GGB, 1999), "O homem-sat√©lite. Est√©tica e muta√ß√Ķes do corpo na sociedade tecnol√≥gica" (Unijui, 2000) e "Corpos vol√°teis, corpos perfeitos. Estudos sobre est√©ticas, pedagogias e pol√≠ticas do p√≥s-humano" (Edufba, 2012). √Č co-organizador dos livros "Corpos mutantes. Ensaios sobre novas (d)efici√™ncias corporais" (Edufrgs, 2007 e 2009), "Walter Benjamin: formas de percep√ß√£o est√©tica na modernidade" (Quarteto, 2008), "A vida no Orkut. Narrativas e aprendizagens nas redes sociais" (Edufba, 2010 e 2012), "Triunfos do corpo. Pol√™micas contempor√Ęneas", (Vozes, 2012) e "Cultura e comunica√ß√£o visual", (Editora da ULBRA, 2013). Estuda principalmente os seguintes temas: est√©tica; corpo e tecnologia; sexualidade e tecnologia; filosofia da t√©cnica; educa√ß√£o, comunica√ß√£o e tecnologias; cibercultura e novas educa√ß√Ķes, software livre, leitura e escrita na era digital, curr√≠culo e forma√ß√£o de professores; redes sociais na internet. Com bolsa do CNPQ desenvolveu a pesquisa "Cibercultura e novas educa√ß√Ķes: leitura e escrita digitais na forma√ß√£o docente" e desenvolve atualmente a pesquisa "Cibercultura e Educa√ß√Ķes: Narrativas de professores nas redes sociais digitais".

 

Ign√°cio de Loyola Brand√£o

Ign√°cio de Loyola Brand√£o √© jornalista, escritor, roteirista de televis√£o e cronista do jornal O Estado de S√£o Paulo. Seu primeiro livro, Depois do sol (contos), impulsionou sua carreira liter√°ria. Foi redator-chefe das revistas Cl√°udia, Realidade, Planeta e Vogue, entre outros peri√≥dicos. Escreveu romances importantes no contexto das letras brasileiras, entre eles Bebel que a cidade comeu, Zero, N√£o ver√°s pa√≠s nenhum, O verde violentou o muro, O homem do furo na m√£o, O menino que n√£o teve medo do medo, Veia bailarina e O segredo da nuvem. Escreveu romances biogr√°ficos, entre eles, Desvirando a p√°gina: a vida de Olavo Set√ļbal (2008). Sua produ√ß√£o liter√°ria rendeu-lhe v√°rios pr√™mios. Destaca-se, em meio a tantos, o Pr√™mio Jabuti como Melhor Livro de Fic√ß√£o de 2008, por O menino que vendia palavras. √Č membro da Academia Paulista de Letras. Respeitado por seus pares, reconhecido pela qualidade de sua obra, Loyola √© valorizado, de forma singular, pelas marcas de cidadania que o caracterizam. √Č coordenador dos debates das Jornadas Liter√°rias de Passo Fundo desde 1988. Contribui decisivamente na organiza√ß√£o de cada edi√ß√£o das Jornadas, desenvolvendo importante e inestim√°vel consultoria. Tamb√©m na literatura infanto-juvenil, em 2009, publicou Os escorpi√Ķes no c√≠rculo de fogo. Em 2010, lan√ßou Ruth Cardoso: fragmentos de uma vida, narrativa sobre alguns momentos da vida de Ruth Cardoso. Em 2012, Solid√£o no fundo da agulha. Em 2013, O mel de Ocara: ler, viajar, comer. Em 2014, Os olhos cegos dos cavalos loucos.

 

 

Lucia Santaella

Lucia Santaella √© pesquisadora I-A do CNPq, professora titular da PUC-SP com doutoramento em Teoria Liter√°ria na mesma universidade em 1973 e Livre-Doc√™ncia em Ci√™ncias da Comunica√ß√£o na ECA/USP em 1993. √Č Diretora do CIMID, Centro de Investiga√ß√£o em M√≠dias Digitais e Coordenadora do Centro de Estudos Peirceanos, na PUC-SP. √Č presidente honor√°ria da Federa√ß√£o Latino-Americana de Semi√≥tica e correspondente brasileira da Academia Argentina de Belas Artes, eleita em 2002. Professora visitante na Frei Universit√§t-Berlin, 1987, na Universidade de Valencia, 2004, na Universidade de Kassel, 2009 e 2011, na Universidade de √Čvora, 2010 e na Universidad Nacional de las Artes, Buenos Aires, 2013-2014. Fez repetidos est√°gios de p√≥s-doutorado (Fullbright, Fapesp, CNPq, Capes, DAAD). Recebeu os pr√™mios Jabuti em 2002, 2009, 2011 e 2014, o pr√™mio Sergio Motta, em 2005 e o pr√™mio Luiz Beltr√£o em 2010. Organizou 13 livros e, de sua autoria, publicou 41 livros. Al√©m dos livros, publicou cerca de 300 artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no Exterior.

 

 

 

Regina Zilberman

Regina Zilberman licenciou-se em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorou-se em Roman√≠stica pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha. Realizou est√°gios de p√≥s-doutorado no University College (Inglaterra) e na Brown University (Estados Unidos). √Č professora adjunta do Instituto de Letras, da UFRGS, e pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cient√≠fico e Tecnol√≥gico (CNPq). Seus livros mais recentes s√£o:¬†A leitura e o ensino da literatura;¬†Br√°s Cubas autor Machado de Assis leitor;¬†Como e por que ler a literatura infantil brasileira.¬†

 

Roger Chartier

√Č um dos mais reconhecidos historiadores da atualidade. Formado pela √Čcole Normale Sup√©rieure de Saint Cloud e pela Universit√© Paris-Sorbonne, √© Doutor Honoris Causa da Universidade Carlos III de Madrid, pesquisador correspondente da British Academy, professor e pesquisador da √Čcole des hautes √©tudes en sciences sociales e professor do Coll√®ge de France, ambos em Paris. √Č membro do Centro de Estudos Europeus da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e recebeu o t√≠tulo de Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras do governo franc√™s. Tamb√©m leciona na Universidade da Pensilv√Ęnia, nos Estados Unidos, e viaja pelo mundo proferindo palestras. Sua especialidade √© a hist√≥ria da cultura, do livro e da leitura na Europa, com √™nfase nas pr√°ticas culturais da humanidade, interessando-se tamb√©m pelos efeitos da revolu√ß√£o digital.¬†Suas principais contribui√ß√Ķes para a hist√≥ria da cultura est√£o relacionadas √†s no√ß√Ķes complementares de ‚Äúpr√°ticas‚ÄĚ, ‚Äúrepresenta√ß√Ķes‚ÄĚ e ‚Äúapropria√ß√£o‚ÄĚ, em que, neste horizonte te√≥rico, as diversas forma√ß√Ķes e manifesta√ß√Ķes culturais podem ser examinadas a partir da rela√ß√£o interativa entre esses tr√™s polos. ¬†Veio v√°rias vezes ao Brasil, onde √©, depois do antrop√≥logo¬†Claude L√©vi Strauss, o intelectual franc√™s contempor√Ęneo que mais influencia estudantes de ci√™ncias humanas.